26 de março de 2012

Relatos de um marido Corno

Minha história de corno

Minha história é um pouco diferente da dos demais. Talvez seja menos interessante para os “consentidos”, mas para mim é perfeito assim e não quero que nada mude.
Sou casado a 9 anos com Fabiane, hoje com 32 anos. Temos dois filhos e uma vida muito feliz. Ela é uma mulher muito atraente, daquele estilo que exala hormônios femininos pelas curvas provocantes de sua silhueta. Desde sempre soube que ela atrai olhares por onde passa, e por 7 longos anos sofri muito tendo ciúmes por causa disso. Durante esse tempo descobri alguns “deslizes”dela, que sempre teve alguns hábitos estranhos que sempre me fizeram desconfiar, mas como a amo muito sempre preferi “fechar os olhos”para isso. Desses hábitos posso citar o fato de ela jamais desgrudar do celular, ou seja, a noite ela desliga e de dia, mesmo quando vai no banheiro tomar banho leva junto. Enfim, nada disso prova alguma coisa, então sempre ignorei isso e ponto final.
As coisas mudaram de figura dois anos atrás. Uma bela noite eu estava com insônia, deitado ao lado dela que dormia profundamente, quando lá pelas 3 da madrugada escuto um torpedo chegando no celular dela. Sim, ela o havia esquecido de desligar. Levantei bem em silencio, e qual foi minha surpresa, quando eu estava chegando na bolsa dela para pegar o aparelho, mais uma mensagem chegou. Nesse ponto eu já sentia um enorme frio na barriga, pressentimento que ia descobrir algo que não ia gostar.
Peguei o telefone e me tranquei no banheiro. Sentei na tampa do vaso e li a primeira mensagem: “bom dia! Mal posso esperar até essa tarde chegar... Vc me deixa louco, nem consigo dormir...”. Minhas pernas amoleceram, comecei a tremer de ódio, sentia a minha pele pegando fogo. Li a segunda: “estou abraçado com a camisa da ultima vez, ainda está com seu perfume”. Nesse momento pensei nas piores coisas possíveis para um ser humano. Pensei em matar, depois pensei em morrer, pensei em vingança e em fazê-los sofrer. Eu tremia tanto que mal conseguia me levantar... Fui até o chuveiro, liguei a água bem quente para tomar um banho e me acalmar um pouco antes que tivesse “um troço”.

Senti a água escorrendo pelo meu corpo, e tive uma enorme surpresa: estava excitado com aquele absurdo. Mais do que isso... Estava louco, sentia tesão como quando adolescente. Me masturbei 4 vezes seguidas, lembrando das mensagens e imaginando Fabi com esse desconhecido. O número dele não estava gravado (provavelmente por precaução), então gravei no meu telefone o número do desconhecido que certamente estava comendo minha amada esposa como “Ricardo”. Após o meu banho, decidi que não falaria nada até decidir o que fazer, que fingiria que nada tinha acontecido. Selecionei as mensagens no celular dela e “marquei como não lidas”, coloquei cuidadosamente na bolsa dela, exatamente como havia encontrado.

No dia seguinte quando levantei, a encontrei na cozinha com as crianças. Ela já tinha dado café da manhã para os dois, e arrumado uma xícara e um misto para mim. Me deu bom dia, carinhosa como sempre, e saiu para levar as crianças para a escola. Percebi que amava minha esposa, e que além de ótima mulher, ela também era uma ótima mãe, e tínhamos uma família muito feliz. Sai para trabalhar com um plano armado... Sairia na hora do almoço e ficaria vigiando minha casa da esquina a tarde, para descobrir o que ela faria. Na hora do almoço disse para uns colegas que me sentia mal e iria para casa, o que não deve ter sido difícil de acreditar devido as minhas olheiras da noite anterior. Parei na esquina, estacionado atrás de um outro carro e fiquei observando minha casa. Uma hora e pouco depois, vi ela saindo sozinha e decidi segui-la. Ela entrou num shopping e parou no estacionamento, e ainda dentro do carro, pegou o celular. Uns 5 minutos depois, chegou um carro e parou ao lado do dela e ninguém desceu. Vi quando ela saiu, olhou em volta e entrou no lado do passageiro desse carro. Aí estava a comprovação. Eu era corno, sabe-se lá a quanto tempo. Anotei a placa do carro do “Ricardo”, e quando olhei de novo, os dois estavam se beijando. De repente, o carro deu ré e saiu. Comecei a segui-los novamente, e não me surpreendi com o fato de o destino deles ter sido um motel. Fui para casa e comecei a pesquisar na internet sobre “cornos”e constatei que era um fetiche até bastante comum. Li vários relatos, alguns obviamente fictícios e outros muito reais, mas um em especial me chamou a atenção. Era de um mineiro que incentivou a mulher a traí-lo, e tempos depois a mulher perdeu completamente o respeito e o amor por ele, passou a insinuar que ele era homossexual e que os amantes eram melhores de cama que ele. Disse a ele que não se separava por causa dos filhos, por que os amantes também eram casados. Percebi que isso me dava medo, não queria jamais estar na pele dele. Gostava sim de ser corno, de secretamente “deixar”minha mulher sair com outros homens, mas em que ela soubesse disso. Percebi que nada daquilo abalaria minha relação com minha esposa, pelo contrario, estava louco para ela chegar em casa a noite e fazer amor com ela.

Dei um tempo na rua e voltei para casa no horário habitual, como se tivesse voltado do trabalho. Encontrei ela em casa, toda linda e cheirosa. Pegou a pasta da minha mão, me deu um beijo e perguntou como tinha sido meu dia. Respondi: “ótimo, e o seu?”. Ela respondeu: “o meu foi normal”. Passei a semana toda pensativo e vi que ela me respeitava muito. Jamais minha família, amigos ou filhos desconfiariam “dos meus chifres”. Percebi também que não queria jamais perder essa mulher que sempre me fez tão feliz, que era tão boa para mim e minhas crianças. A noite eu estava alucinado de tesão por ela e fizemos amor como a muito não fazíamos. Percebi que com o passar do tempo, o tesão foi diminuindo e a vida sexual se tornando chata, mas que aquela descoberta tinha revitalizado meu desejo por ela, como se meus hormônios soubessem que ela tinha base de comparação e que eu não podia ser pior do que o “Ricardo”. Em contato com um amigo, consegui chegar ao proprietário do carro pela placa. Pesquisa vai, pesquisa vem, descobri que o “Ricardo” na verdade se chamava Sandro e trabalhava numa das livrarias do shopping em que “flagrei” eles pela primeira vez. Uns seis meses depois tomei coragem e fui na tal livraria, e dei um jeito de ser atendido por ele. Um cara muito tranqüilo e simpático, obviamente jamais imaginaria que eu era marido da amante dele. Vi na mão dele uma aliança de noivado, que ele devia ter no máximo 25 anos e que provavelmente a relação deles era só carnal mesmo.

Depois de quase um ano, descobri (seguindo ela desconfiado de novo) que estava transando com um instrutor da academia dela. Imagino que faça outras que nunca soube e jamais saberei. Sou muito fiel a ela, muito feliz e realizado, e espero continuar sentindo o tesão que sinto sem jamais deixar ela saber disso, ou quem sabe, quando formos bem velhinhos eu conte, só para ver a reação dela. Obrigado por ler minha historia, ela é legitima. Fique a vontade para me escrever, desde que não sejam vulgaridades fúteis ou pedidos para “comer minha esposa”.

Um comentário:

  1. Me chamo Júnior,tenho 26anos e minha esposa Geovanna tem 23.Somos casados a 5 anos.Eu e meu amigo Gustavo sempre gostamos de jogar vídeo-game(futebol)e a três anos atrás marcamos de fazer um torneio em sua casa,os jogadores seriam eu,meu amigo,seu irmão Diego(20 anos)dois primos dele(Ivan de 25 anos,Juninho de 21),e um amigo(Murilo)de18 anos.Ela disse que ira junto comigo pois havia uma amiga que gostaria de visitar e ela era vizinha do meu amigo.Chegamos lá e ela foi logo chamando a vizinha,mas ela não estava.chamei-a para me esperar e ela topou.Entramos na casa do meu amigo e ela disse oi á todos,mas meu amigo e seu irmão teriam que viajar pois sua mãe estava muito doente.Eles pediram que eu fizesse um torneio para eu e os demais jogarmos e disse que as chaves da casa ficaria com seu primo Ivan.Antes de começar o primeiro jogo,Ivan disse PARA APOSTARMOS,MAS EU ESTAVA SEM DINHEIRO.Eles começaram a rir de mim e disseram que eu não sabia jogar e estava com medo.Sempre fui acostumado a ganhar no jogo,então eu disse que buscaria dinheiro em casa,mas disseram que demoraria muito.Até que o Ivan me chamou na cozinha e calmamente me perguntou se eu teria coragem de apostar minha esposa contra $200 reais dele em uma unica partida.Chamei ela e conversei com ela na cozinha.Disse á ela que não se preocupasse pois estava muito confiante e ela topou.Começamos a jogar e levei cinco gols e marquei apenas dois.Perdi.Olhei para ela e disse que infelizmente aposta era aposta.Ivan foi logo abraçando e beijando Geovanna que no começo resistiu,mas depois acabou cedendo. Ele tirou seu fio dental e começou a chupá-la até que ela começou a gemer.Logo depois enfiou a língua dentro do cuzinho dela até que ela começou a gemer cada vez mais alto.Puxou-a pelos cabelos e lambendo sua boquinha pediu para ela chupar seu pau!Um pau grosso(nunca havia visto um tão grosso igual o dele,nem em filme)e com 23 cm,logo achei que ela não aguentaria.Ela começou a chupar devagar e ele pediu que chupasse como uma puta,ela atendeu.Ele a colocou de quatro no sofá perto dos outros para que a admirassem e a perguntou-a se importava de dividí-la com os outros,ela me olhando com uma carinha de "piedade" me pediu por favor e disse que essa era uma das suas maiores fantasias,eu,com o tesão que estava,concordei.Os outros tiraram seus paus para fora e ela os chupou.O Ivan se posicionou atrás dela que estava de quatro e começou a esfregar seu enorme pau em seu grelinho e também no cuzinho,ela,enquanto chupava os outros dois gemia alto demais para se segurar,ele perguntou se ela gostaria de ser penetrada de uma só vez com muita força pelo seu enorme cacete,ela sem pensar soltou um grito tão gostoso:SIM!ENFIA COM TUDO POIS QUERO GEMER E GRITAR DE TESÃO NA FRENTE DO MEU NOVO CORNINHO!Ele sem pensar,socou seu pau de uma só vez com extrema violência nela de quatro e ela pediu para que não parasse.Juninho e o Murilo estavam loucos para fodê-la também,então o Ivan tirou seu pau e deu para ela chupar enquanto era penetrada pelo Juninho.Murilo na sua vez já foi logo pedindo para ela dar o cuzinho,ela disse SIM!Não satisfeita,olhou para mim e disse que estava a ponto de fazer uma loucura!ELA PEDIU PARA SER PENETRADA DUPLAMENTE POR TRÁS!!!Começaram com Juninho e Murilo a pegando de jeito e fodendo seu cuzinho do jeito que ela pediu!!!Mas o Ivan não queria ficar de fora e logo enfiou o seu pau junto com o do Murilo!!!Os dois a foderam no cuzinho juntos por mais de meia hora!!!Até que ela se ajoelhou implorando por seus leites.Todos gozaram muito,um de cada vez em sua garganta e ela se ajoelhou em minha frente,e com sua boca lotada de porra chegou pertinho de mim e com suas mãos abriu minha boca e despejou toda a porra e me ordenou que engolisse tudo!Fiz o que ela me ordenou!Ela me beijou.Depois que tudo terminou todos nos sentamos e concordamos em nos encontrar e fazer de novo.ESTE FATO É REAL(ELA TEM 23 ANOS,1M E 65CM DE ALTURA,BRANCA E CABELOS CLAROS)EMAIL GENTEBOA696969@GMAIL.COM

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...